Estudante é impedida de fazer prova de CNH por causa do tamanho da saia em Sertãozinho, SP

Peça na altura dos joelhos usada por jovem evangélica foi considerada inadequada por examinador. Em nota, Detran-SP pediu desculpas e informou que ela poderá reagendar exame sem custos.

 Estudante é impedida de fazer prova de CNH por causa do tamanho da saia em Sertãozinho, SP

Uma estudante evangélica de 18 anos foi impedida de fazer a prova prática para obter a CNH em Sertãozinho (SP) por causa do comprimento da saia que usava. Segundo a jovem, a peça na altura dos joelhos foi considerada inadequada pelo presidente da banca. Indignada, ela registrou um boletim de ocorrência.

“Ele nem parou pra avaliar a situação, se era uma saia curta, indecente de verdade”, diz a estudante que prefere não se identificar.

A reportagem tentou ouvir o funcionário do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-SP), mas ele não quis gravar entrevista.

Em nota, o Detran pediu desculpas pelo ocorrido e informou que a candidata poderá reagendar o exame sem nenhum custo.

Sem prova por causa da roupa
O exame prático de direção estava marcado para esta quinta-feira (5). No local da prova, a jovem diz ter sido alertada por uma colega de que os examinadores poderiam implicar com o comprimento da saia.

“Eu falei com o mesário e ele disse que eu não poderia fazer alegando que ela era curta, que tinha que ser longa ou vir de calça.”

A estudante alega que não poderia usar calça por causa da religião e que escolheu um modelo condizente com as orientações recebidas na autoescola. Um manual do Detran orienta os candidatos sobre vestimentas para homens e mulheres na data dos exames.



De acordo com o advogado Otávio Belardi, o código especifica que o comprimento de shorts, bermudas e saias usados pelos candidatos esteja, no mínimo, na altura dos joelhos.

"Verificando-se que o candidato estaria com vestimenta adequada a saia abaixo do joelho, o correto seria permitir a prática da prova, independente de qualquer restrição, porque ela estava dentro das regras", afirma Belardi.

“Eu vim com uma saia mais comprida do que as que uso no dia a dia pra não ter esse problema. Mesmo assim, eu fui prejudicada”, afirma a estudante.

De acordo com a presidente da Associação das Autoescolas de Sertãozinho Rosana de Paula, o examinador ignorou os argumentos apresentados pelos instrutores de que a roupa usada pela candidata estava conforme a regra do Detran.

“Está claro que houve um abuso de autoridade, um abuso de poder. A gente tentou argumentar. Ele disse que estava acima do joelho. Eu disse 'não é possível que você está vendo a mesma saia que eu.”

Desculpas
Procurado, o Detran-SP informou, em nota, que entre as orientações sobre direitos e deveres dos cidadãos que realizam o exame prático para obter a CNH, estão as regras de vestimenta para homens e mulheres, definidas no Manual do Cidadão - Exame Prático de Direção. O documento, segundo o órgão, foi elaborado por colegiado integrado e pela sociedade civil.

O Detran-SP pediu desculpas à jovem e informou que ela poderá remarcar o exame sem ter que pagar por ele.