VÍDEO: queniano cai e derruba brasileiro na São Silvestre
Estrangeiro escorregou na faixa; ambos continuaram na prova

Confira os tempos dos primeiros colocados da prova masculina:

1º: Dawitt Admasu (ETI) - 44m15s
2º: Belay Bezabh (ETI) - 44m33S
3º: Edwin Rotich (QUE) - 44m43s

 VÍDEO: queniano cai e derruba brasileiro na São Silvestre<br />
Estrangeiro escorregou na faixa; ambos continuaram na prova

Confira a chegada da prova feminina na Corrida Internacional de São Silvestre

O brasileiro mais bem colocado foi Ederson Vilela, em 11º lugar. No feminino, a melhor foi Joziane Cardoso, em 10º

Dawitt Admasu, da Etiópia, vence a São Silvestre pela segunda vez na carreira! Correndo pelo Bahrein, ele completa a prova em 44m15s. O etíope Belay Bezabh termina em segundo lugar, seguido pelo queniano bicampeão da prova Edwin Rotich

Dawitt Admasu entra na reta final da prova na Avenida Paulista na liderança

Edwin Rotich, em terceiro lugarm vai se distanciando de Bezabh, que acelera e põe a pressão em cima do líder Admasu

Dawitt Admasu, do Etiópia, lidera a prova masculina, após 13,5 km. Ele está a 121m de distância do segundo colocado, o etíope Belay Bezabh

Sintayehu Hailemichael, da Etiópia, é a segunda colocada da São Silvestre, com tempo de 50m55s. Em terceiro, ficou a sua compatriota Birhane Dibaba, com 50m77s



A queniana Flomena Cheyech é campeã da São Silvestre! Prova impecável da fundista, que domina do início ao fim e fecha a corrida com a marca de 50m18
Rotich tropeça, cai e derruba brasileiro Wellington durante percurso

A queniana Flomena Cheyech está cada vez mais perto da vitória, dominando completamente a prova. Ela já percorreu 13 dos 15 km da São Silvestre e está a mais de 200m de distância para as demais. De tempos em temos, fundista olha para trás para ver onde estão as rivais, cada vez mais distantes

Prova masculina chega a 8 km, com seis atletas no primeiro pelotão, enquanto a prova feminina vai se definindo a favor da queniana Flomena Cheyech, que lidera a disputa com sobras

Quênia e Etiópia são os grandes rivais na briga pela supremacia das provas de longa distância. Entre os homens, os africanos venceram as últimas seis provas. O último brasileiro a vencer foi Marilson Gomes dos Santos, em 2010. O domínio da África no feminino é ainda maior: 10 anos. Lucélia Peres foi a última brasileira a vencer, em 2006, ano que teve dobradinha dos anfitriões com Franck Caldeira.

Brasileiro Wellington Bezerra, o Cipó, se choca com queniano Edwin Rotich após 5 km de corrida. Os dois caem na pista, mas levantam e seguem na disputa

Flomena Cheyech na liderança da prova feminina, com mais de 100m de distância para as demais corredores. Queniana abrindo a prova com ritmo forte e sem demonstrar sinais de cansaço até o momento